Sambentista produz documentário sobre Zé Pereira

Quem mora, morou ou já passou algum carnaval em São Bento do Sapucaí com certeza já se divertiu com os centenários bonecões do bloco Zé Pereira. Patrimônio cultural e histórico, a família mais amada da cidade vai ter sua história documentada no projeto “Curta Zé Pereira – história de gerações”, produzido pelo designer gráfico Murilo Almeida.
Nascido em São Bento do Sapucaí, Murilo teve a ideia de produzir o documentário em 2014, quando estava descansando em sua casa, com a rua em total silêncio, quando de repente começou a ouvir os gritos de crianças somados a barulhos de percussão aumentando gradativamente, até chegar ao grande arrastão e voltar à calmaria alguns minutos depois. Foi então que se deu conta do poder dos bonecões, que há quase um século embala crianças, jovens e adultos pelas ruas sambentistas antes e durante o carnaval. “Esse dia me fez começar a pensar sobre o Zé Pereira de outra forma, como um arrastão mesmo, que passa e ninguém consegue ficar sem reação, pois é uma alegria para todas as gerações”, contou o designer, que acompanha o bloco desde a infância.
As filmagens estão em andamento desde o início de 2016 e já contam com a entrevista de Bento Cortês, Fátima Machado, Expedito Folheiro, José Armando, entre outros que fizeram ou fazem parte da história ou apresentam curiosidades sobre o Zé Pereira. O projeto, que é independente e sem fins lucrativos, vem contando com o apoio e com participação de pessoas envolvidas com a organização do Zé Pereira ao longo dos anos, amantes dos bonecos, além da consultoria de amigos profissionais nas áreas de áudio e vídeo.

De acordo com Murilo, no momento, as filmagens estão focadas em mostrar os cortejos do Zé Pereira, que se iniciaram em janeiro e passam todos os dias pelas ruas da cidade até o final do carnaval. “Essas cenas internas têm a intenção de passar o clima e energia que tornaram este evento tão empolgante para crianças e adultos, mostrando como são as batidas, movimentos, trocas, expectativa das crianças, e algumas surpresas”, explicou.

O projeto está previsto para ser lançado no primeiro semestre de 2018 e todos podem participar enviando fotos anteriores ao ano de 1999, que serão importantes para ilustrar depoimentos históricos. Acesse a página do documentário para saber como participar, acompanhar o processo de produção do filme ou entrar em contato. Clique aqui para acessar.